PRÓXIMAS INICIATIVAS

11 de Janeiro de 2017, 4ª feira, pelas 19:00h
Palestra “O que aprendeu Fernando Pessoa com Shakespeare?”
Associando-se às comemorações dos 400 Anos da Morte de William Shakespeare (Abril de 1616), o Grémio Literário promove uma palestra sob o título “O que aprendeu Fernando Pessoa com Shakespeare?”, sendo oradora a Consócia Mariana Gray de Castro, licenciada e mestre em literatura inglesa e portuguesa pela Universidade de Oxford e doutorada pelo King's College, da Universidade de Londres.
É  autora  de  vários  artigos  e  capítulos  em  livros. Entre  as  suas  publicações  incluem-se  também  a
antologia Amo Como Ama o Amor: Escritos de Amor de Fernando Pessoa (2013) e o livro Fernando Pessoa's Shakespeare: The Invention of the Heteronyms (2016), o qual em breve terá uma edição portuguesa.
Presentemente encontra-se a terminar um pós-doutoramento nas Universidades de Lisboa e Oxford sobre Fernando Pessoa e os escritores ingleses que mais o influenciaram.

A palestra será seguida de jantar durante o qual Marta Caeiro, Martim Gama, Henrique Bispo e Catarina Moita, alunos finalistas da licenciatura em Teatro da Escola Superior de Teatro e Cinema, lerão sonetos de Shakespeare em tradução portuguesa de Vasco Graça Moura e interpretarão canções.

Esta actividade foi organizada em exclusivo para o Grémio Literário tendo sido orientada pela Professora da Área de Voz / Música, Maria Repas Gonçalves, a pedido do Director do Departamento de Teatro, Professor Álvaro Correia.

A Escola Superior de Teatro e Cinema, resultante da reconversão do prestigiado e centenário Conservatório Nacional em diversos estabelecimentos ligados ao ensino das várias artes que ali vinham sendo ministrados, foi criada em 1983 e é hoje uma marca nacional e internacional, quer no âmbito do Teatro, quer do Cinema.

O preço do jantar é de 30€ por pessoa.

 

19 de Janeiro, 5ª feira, pelas 19:00h
Exposição de fotografia
Inauguração da exposição de fotografia de Joana Hintze Ribeiro Garrido, Esfera Vertical, organizada pelo Grémio Literário em colaboração com o Consócio D. Tiago Henriques.

As formas são aqui reveladas em sombra e luz, sublinhando o ambiente em que se desvendam. Partindo da ideia de esfera, onde todos os pontos que a constituem se encontram à mesma distância de um centro, nasce assim uma atmosfera artificial, que se inscreve de forma natural. Tanto à superfície, como no seu interior, as imagens são testemunho de um novo espaço em construção.

A exposição estará patente, até ao dia 10 de Fevereiro, podendo ser visitada no horário de expediente do Grémio Literário.

 

20 de Janeiro, 6ª feira, pelas 20:30h
Jantar Dançante – Exposição de Joalharia
Satisfazendo o pedido de vários consócios vamos retomar, este mês, a realização dos jantares dançantes, animados com música ao vivo, desta vez interpretada pelo grupo musical de Stefano Saturnini.
Contamos com a sua sempre agradável presença para que a festa venha a ter o brilho e o sucesso das anteriores.
Por solicitação da consócia Alexandra Madeira, vai estar patente uma exposição de joalharia nas instalações do Grémio Literário, com peças da sua autoria.
A Dra. Alexandra Madeira exerce a sua actividade em diversas áreas da arte onde se incluem peças de joalharia. É autora do livro intitulado “Acto de Criação” com prefácio do Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa.

O preço do jantar é de 40€ por pessoa.

 

27 de Janeiro, 6ª feira, pelas 20:00h
Jantar/debate  
Ciclo “Que Portugal na Europa, que futuro para a União?”
O quarto jantar-debate do novo ciclo “Que Portugal na Europa, que futuro para a União?” contará com a participação do eurodeputado Paulo Rangel como orador – convidado. Será a 27 de Janeiro, na Biblioteca do Grémio Literário, promovido pelo Clube Português de Imprensa, em parceria com o Centro Nacional de Cultura e o Grémio Literário.

Paulo Rangel, nascido em 1968, cresceu entre Gaia, Porto e Gondomar. Estudou no Colégio dos Carvalhos e na Universidade Católica do Porto, instituições carismáticas. 
Foi bolseiro da Deutscher Akademischer Austausch Dienst, o que lhe permitiu fazer investigação no estrangeiro, nos campos do Direito Constitucional, do Direito Administrativo e da Ciência Política, no Instituto Universitário Europeu e nas Universidades de Bolonha, Génova e Freiburg. A sua investigação sobre a teoria do federalismo e a constituição europeia, o estatuto constitucional do poder judicial e sistemas de governo, deram origem ao livro Repensar o Poder Judicial.

Advogado e consultor jurídico, especialmente dedicado ao Direito Administrativo e ao Direito do Ambiente, integrou nessa qualidade reputadas sociedades de advogados.

Entre outras actividades, Paulo Rangel é membro da Direcção da Associação Comercial do Porto, desde 2007, e do Conselho de Administração da Fundação Robert Schuman, desde 2009.
Foi distinguido com o Prémio D. António Ferreira Gomes, da Universidade Católica e com o Prémio René Cassin, do Conselho da Europa.

Paulo Rangel entrou na política quando lhe confiaram a redacção do programa de candidatura do PSD e do CDS-PP à Câmara Municipal do Porto, encabeçada por Rui Rio, em 2001.
Mais tarde, seria incluído nas listas do PSD para as Legislativas de 2005. Eleito deputado à Assembleia da República, pelo Círculo do Porto, altura em que formalizou a sua adesão ao PSD, viria a ter um papel de destaque no Parlamento com a chegada de Manuela Ferreira Leite à liderança desse partido, que o indicou para presidente do Grupo Parlamentar, em Junho de 2008.

No ano seguinte, foi a escolha de Ferreira Leite para encabeçar a lista do partido às eleições para o Parlamento Europeu, das quais saiu vencedor. Desde a sua eleição coordena o Grupo Europeu do PSD, sendo igualmente vice-presidente do Grupo Parlamentar do PPE. Em 2011 passou, também, a presidir ao então criado Grupo Parlamentar União Europeia-Brasil. Já em 2015 foi eleito vice-presidente do PPE, no congresso de Madrid.
Em 2010, com o fim do mandato de Manuela Ferreira Leite, Rangel disputou com Pedro Passos Coelho e Aguiar-Branco a liderança do PSD. Saiu derrotado por Passos Coelho, mas venceu sobre Aguiar-Branco.

Enquanto eurodeputado, Paulo Rangel reconhece haver no espaço europeu uma ”grande imprevisibilidade”, tendo em conta um conjunto de variáveis geopolíticas e política, e diz que o principal desafio que a Europa tem para 2017 é “reduzir a incerteza” em que está mergulhada.
Para essa incerteza contribui, na sua opinião, o ciclo de eleições que se seguem em França, na Alemanha, na Holanda e, provavelmente, em Itália e as previsíveis mudanças na liderança das instituições europeias.

“Não sabemos o que podemos esperar – comentou Paulo Rangel - especialmente com a subida claríssima dos movimentos populistas, ao mesmo tempo que temos o Brexit, que terá o seu início de negociação, e, finalmente, Donald Trump, que é o grande factor de imprevisibilidade”.
Quanto à sustentabilidade do euro, mostra-se mais tranquilo, afirmando não estar em causa. “A prioridade para a Europa é a estabilidade do sistema financeiro”.

É esta personalidade, uma das mais destacadas da sua geração, com um excepcional currículo, que vamos ouvir na Biblioteca do Grémio Literário, sobre as perspectivas que se deparam para a União Europeia e para Portugal como parte dessa comunidade.

O preço do jantar é de 30€ por pessoa.