PRÓXIMAS INICIATIVAS

16 de Junho, 5ª feira, pelas 18:00h
Lançamento de Livro
 

Por iniciativa do Consócio Dr. Filinto Elísio Correia e Silva vai ter lugar, na Biblioteca, a apresentação do livro “Zen Limites”, da Rosa de Porcelana Editores.

A apresentação ficará a cargo do Dr. Daniel Adrião.

 

23 de Junho, 5ª feira, pelas 19:00h
Colóquio sobre História do Cinema
 

Por iniciativa do Consócio Dr. Rui Nobre, o Grémio Literário vai organizar um colóquio temático com Mário Augusto, jornalista da RTP especializado em Cinema, intitulado "1001 histórias à volta do Cinema".

A sessão será seguida de jantar ao preço de 30€ por pessoa.

 

24 de Junho, 6ª feira, pelas 20:30h
Jantar dos Santos Populares – Orquestra de Jazz “Lisbon Swingers”

Estimulados pelo êxito dos anos anteriores, vai realizar-se, novamente, um jantar no jardim, animado pela orquestra de jazz “Lisbon Swingers”. A banda, com cerca de 20 elementos, está voltada para a interpretação dos grandes temas de jazz, nomeadamente dos clássicos americanos da era do swing. Os seus gostos são ecléticos mas procuram, frequentemente, aproximar-se do som típico de orquestras conhecidas como as de Count Basie ou de Duke Ellington.

Caso se verifiquem condições meteorológicas adversas, o evento realizar-se-á no interior do Grémio Literário.

O preço do jantar é de 45€ por pessoa.

 

28 de Junho, 3ª feira, pelas 20:00h
Jantar/debate  
Ciclo “Que Portugal queremos ser, que Portugal vamos ter?”

O historiador Rui Ramos é o orador convidado no ciclo de jantares-debate em Junho, promovido pelo Clube Português de Imprensa, em parceria com o Centro Nacional de Cultura e o Grémio Literário, subordinado ao tema “Que Portugal queremos ser, que Portugal vamos ter?”.

Polémico e frontal, é de um dos mais activos protagonistas de uma nova geração que se tem afirmado pela qualidade da sua intervenção no espaço público, sem concessões a tendências seguidas como moda e avesso, por natureza, ao politicamente correcto.
 
De acordo com a sua biografia pública, Rui Manuel Monteiro Lopes Ramos nasceu em Torres Vedras, em 1962, e licenciou-se em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, em 1985, onde teve uma breve passagem como assistente estagiário. 

Foi ainda professor convidado da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa (1998-2001) e, depois, do Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa (desde 2001).
No Instituto de Ciências Sociais, foi membro da Comissão Permanente do Conselho Científico (2001-2004), vogal da Comissão de Pós-Graduação (1998-2000) e membro do conselho de redacção da revista Análise Social (2003-2004).
Enquanto historiador, especializou-se na história de Portugal dos séculos XIX e XX, estudando sobretudo os aspectos políticos e culturais. Tem-se dedicado, em particular, à investigação da época do final da monarquia constitucional e da I República.

Interessa-se, também, pela história das ideias políticas na Europa dos séculos XIX e XX, tema sobre o qual tem orientado vários seminários no Instituto de Ciências Sociais, no âmbito do programa de mestrado e doutoramento em Política Comparada. Doutorou-se em Ciência Política, pela Universidade de Oxford, em 1997.

É autor de dezenas de artigos publicados em revistas científicas portuguesas e estrangeiras, e de vários livros, entre os quais "A Segunda Fundação", 1994, Volume VI da História de Portugal dirigida por José Mattoso, "João Franco e o Fracasso do Reformismo Liberal", 2001, e a Biografia de D. Carlos I de Portugal, na série dos Reis de Portugal, de 2006.

Foi, ainda, um dos Coordenadores da obra, em três volumes, Dicionário Biográfico Parlamentar, e autor de A Monarquia Constitucional, de 2004-2005. Colaborou no projecto internacional El Léxico Político y Social de la Modernidad Iberoamericana (Proyecto Iberconceptos), que congrega investigadores de universidades espanholas, portuguesas e latino-americanas com vista à elaboração de um Dicionário de História dos Conceitos Políticos e Sociais no Mundo Ibero-Americano, entre 1750 e 1870.

Foi um dos fundadores e membro do Conselho de Redacção da "Penélope. Revista de História e Ciências Sociais", entre 1988 e 2006 e um dos organizadores dos dois Congressos de "História Social das Elites", em 1991 e em 2003.
É vogal da Administração do jornal online Observador, presidida por António Carrapatoso.

Em Outubro de 2002, a Academia Europaea outorgou-lhe a distinção de Burgen Scholar "in recognition of excellent academic achievement".

Em 2009, recebeu o Prémio D. Dinis, conjuntamente com Bernardo de Vasconcelos e Sousa e Nuno Gonçalo Monteiro pela obra História de Portugal.
A 7 de Junho de 2013 foi feito Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

Numa entrevista em 2010, Rui Ramos já advertia para  o facto de sermos “uma população que mostrou sempre uma grande disponibilidade para ter expectativas acima dos recursos que tem. Um Estado sempre com défice, com uma dívida gigantesca (…)”.

E interrogava-se: “o que é que isto revela?” E a sua resposta não podia ser mais incisiva: “ Revela uma sociedade aspiracional que não vive com os recursos que tem, que pretende proporcionar às gerações seguintes melhores condições de vida do que aquelas que conheceu. Também temos a verrina, a má-língua, o reduzir tudo a proporções mesquinhas. E, mais uma vez, são coisas ambivalentes: alguém que tem sucesso em Portugal, tem sucesso contra tanta coisa, que algum mérito há-de ter!”

Nessa mesma entrevista, encarava a sociedade portuguesa como uma das que “mais mudaram nos últimos 30 ou 40 anos”, com um percurso que “outras sociedades seguiram em 50, 70, 100 anos”.

Para Rui Ramos, “passámos de uma sociedade rural para uma sociedade urbana, de uma ocupação agrícola para uma ocupação no sector dos serviços. Isto tudo no tempo de uma geração”.

É esta personalidade, com um recorte invulgar e um invejável currículo como historiador e académico, que poderemos ouvir na Sala da Biblioteca do Grémio Literário, num jantar-debate que, ao reflectir sobre o passado, perspectiva o presente e o futuro.
O preço do jantar é de 30€ por pessoa.

 

4 de Julho, 4ª feira, pelas 20:00h
Jantar/Palestra sobre Fernão de Magalhães

O Grémio Literário promove, na Biblioteca, um jantar/Palestra animado pelos Engs. José Eduardo Cansado de Carvalho de Mattos e Silva e António Luis Cansado de Carvalho de Mattos e Silva, sob o tema: “Fernão de Magalhães: agente secreto para a questão das Molucas”.

Os palestrantes, para além de distintos profissionais nas suas áreas de formação académica, têm-se dedicado a temas de carácter histórico, com trabalhos de investigação divulgados em diversas conferências no país e no estrangeiro e em livros e artigos publicados em revistas de especialidade.

O preço do jantar é de 30€ por pessoa.